3.3. Tipos de Microoperações

Como já foi possível observar através dos exemplos apresentados, há quatro tipos básicos de Microoperações de uma Unidade de Controle. São eles:

A transferência de dados de um registrador para outro é a mais simples das Microoperações e geralmente é feita num único ciclo de clock. Já a movimentação de dados de ou para o exterior da CPU pode ser mais complexa. Para facilitar muitos computadores mapeiam todos dispositivos de Entrada e Saída com se fossem memória. Ou seja, para a CPU, enviar um dado para um dispositivo seria como escrever um dado na memória, bastando usar um endereço diferente. Isso facilita bastante a operação da Unidade de Controle, mas pode limitar a quantidade de endereços de memória disponíveis para os programas. As operações de transferência de dados são complexas também porque levam um tempo não conhecido para serem executadas. Se o dado estiver na memória Cache o acesso é mais rápido, se estiver na Memória Principal levará mais tempo, e se tiver num dispositivo externo, um Disco Rígido, por exemplo, pode levar ainda mais.

As operações lógica e aritméticas podem ser mais rápidas ou mais lentas dependendo de cada uma delas. Operações com números de Ponto Flutuante tendem a levar mais tempo do que aquelas com números inteiros. Já as operações trigonométricas são as mais lentas que o computador pode operar.